Durante o Venice Filme Festival, Nicholas concedeu uma entrevista ao The Daily Beast onde fala sobre amor, Equals, Mad Max e mais. Confira:

Quando eu falei pela última vez com Nicholas Hoult, o ator pronto para a GQ com as sobrancelhas Vulcan e bochechas altas, ele tinha acabado de se separar de sua namorada muito famosa, Jennifer Lawrence. Era janeiro de 2013, o britânico tinha finalizado as gravações de Mad Max: Fury Road – uma gravação cansativa que ele teria creditado para a separação.

“É complicado, porque você está em todos os lugares,” ele disse. “Nós estávamos filmando Mad Max: Fury Road por sete meses em Namibia, então você nunca está realmente em um lugar só, e quando você está, são lugares difíceis de chegar. Eu não mudaria isso, porque você é muito sortudo se você pode viajar, conhecer pessoas novas, e embarcar nessas novas experiências, mas não é bom para esse lado das coisas.”

Bom, bastante aconteceu depois disso. Hoult elevou-se para o status de protagonista. Outro filme de X-Men foi lançado, arrecadando 750 milhões de dólares mundialmente. Fury Road finalmente foi lançado, desafiando toda e qualquer expectativa como um dos melhores filmes do ano. E o ator de 25 anos se reuniu – e separou de novo – de Lawrence, o que foi documentado avidamente nos tablóides.

Dias após os tablóides documentarem a separação, Hoult embarcou em uma jornada para o Japão para filmar Equals, de Drake Doremus, um filme de ficção científica que ocorre em uma sociedade do futuro onde emoções foram erradicadas, e aqueles que os expressam são enviados para sua morte. Seu personagem se apaixona pela colega de trabalho Nia (Kristen Stewart), e os dois decidem fugir ao invés de sucumbir ao seu destino sombrio.

Stewart, também, recentemente se separou de seu namorado e estrela de Twilight, Robert Pattinson, então o projeto, e sua remota ambientação, não poderia ter vindo em um tempo melhor para o par.

“Foi incrivelmente doloroso,” Stewart me disse. “Foi um bom tempo para nós dois fazer esse filme… Nós nos sentimos mais próximos por tudo o que passamos, e utilizar isso foi assustador.”

Hoult concorda. “Foi legal se sentir tão isolado de tudo, de nossas vidas,” ele diz. “Geralmente é o jeito que estamos na localização, mas particularmente nesse filme foi muito íntimo, e um ambiente legal de estar.”

A civilização descrita em Equals é chamada de The Collective, onde seus habitantes vivem em ternos brancos, comem, trabalham, e dormem. Para quebrar a monotonia, eles resolvem um quebra-cabeça em 3D – se eles estiverem se sentindo aventureiros.

De acordo com Hoult, o mundo do filme é um comentário de muitos jeitos sobre a cultura de drogas por prescrição na América, e a supermedicação para nossa juventude. “Não quero irritar nenhum país, mas os EUA tem uma cultura maior do que na Inglaterra de medicar crianças que não possuem nada de errado. Sim, eles são superexcitados e sombrios algumas vezes, mas são apenas crianças crescendo. Algumas vezes eu era um pé no saco, e outras eu era muito calmo. São hormônios e você está crescendo, então para reduzir isso e dizer “Você é biopolar”, e dar remédio para as pessoas por isso, há um grande problema,” ele diz.

Mas Equals é, primeiramente e principalmente, sobre “o amor prevalecendo e o espírito humano,” e as coisas enormes que as pessoas fazem por amor.

“Na maioria das vezes, o que nós estamos fazendo é por amor,” diz Hoult. “Essa coisa quando você se veste pela manhã e pensa, “Oh, eu quero me vestir bem para isso,” isso tudo é abastecido por amor – particularmente aquele amor não correspondido, o amor que você não pode ter. Porque isso é apenas, ugh, tortura.”

Sua experiência em Fury Road não foi exatamente suave, também. Hoult assinou com o projeto de George Miller em janeiro de 2010, mas as filmagens foram atrasadas para 2012. O atraso permitiu que Hoult aceitasse o papel de Hank McCoy/Fera em X-Men: First Class, onde ele conheceu Lawrence.

“Foi como eu terminei em X-Men,” ele lembra. “Originalmente, eu não estava disponível para X-Men então descobri que as filmagens foram atrasadas, então liguei para meu agente e disse a ele que estaria livre.”

O personagem de Hoult em Fury Road é Nux, um War Boy determinado a atingir a imortalidade, e se tornou um favorito dos fãs – com sua boca cromada com spray e falas memoráveis.

“Que dia, que dia agradável!” ele diz, rindo. “É um sentimento ótimo quando você interpreta um papel, as pessoas gostam, e gostam tanto da fala que se torna um bordão. Eu passo muito tempo fazendo Dubsmashes, e me mandarem um de uma pessoa vestida do meu personagem em Mad Max outro dia. E a maquiagem estava boa, foi louco.”

O ator surpreendentemente alto (1,90) diz que houve dias no set onde ele terminava as filmagens no deserto, lavava a pintura, e tinha um bloco de motor V8 marcado pelo sol em seu peito.

E o spray cromado? “Era spray de bolo,” ele diz, “essa mistura de colorização para bolo. Não tóxico!”

Mas, de volta para Equals, há uma cena onde Hoult e Stewart, que estão experimentando o amor pela primeira vez, experimentam seu primeiro beijo. É uma sequência poderosa em um lavabo repleta de música, luz, toques exploradores, e a recompensa.

“Tem que ser um pouco ruim, mas também não pode ser engraçado – e tem que ter muito sentimento e descoberta nisso,” Hoult diz sobre seu beijo com Stewart. “Não é um trabalho ruim para mim!”

Fonte

Nicholas recentemente deixou o elenco do filme The Discovery por conflito de agenda. Confira:

Robert Redford e Jason Segel se juntaram à Rooney Mara em The Discovery de Charlie McDowell. Segel está substituindo Nicholas Hoult, escalado para o papel originalmente, que está deixando o filme programado para ir para as câmeras no fim do mês por causa de conflito de agenda. O ator estava anexado ao filme desde o outono passado. O filme, escrito por McDowell e Justin Lader, será filmado em Rhode Island.

O conflito de agenda é com Rebel in the Rye no qual Hoult estrela como o autor J.D. Salinger com Kevin Spacey. Dirigido por Danny Strong (que escreveu The Butler), o filme está sendo preparado para ir para as câmeras esse mês. Hoult também é parte do primeiro filme em inglês do diretor Xavier Dolan, The Death and Life of John F. Donovan com Natalie Portman e Thandie Newton. O projeto está programado para começar no outono americano.

Fonte

Durante o desfile da Burberry em fevereiro, Nicholas concedeu uma rápida entrevista ao site da revista ELLE. Confira abaixo:

Esse não é seu primeiro desfile de moda, é?

Não é meu primeiro, mas definitivamente isso não é algo frequente para mim. Se você dissesse “Nicholas, quer ir em um desfile de moda?” Eu diria “Não, prefiro dormir até mais tarde.” Mas esse é diferente.

Por que vale a pena acordar por essas roupas?

Eu não sei muito sobre roupas, para ser honesto com você, mas eu sei um pouco sobre Burberry, porque você cresce sabendo que é parte da sua herança nacional, então é uma grande honra ser convidado para estar aqui. E as roupas são legais, são clássicas e fáceis de usar.

Você realmente se importa com o que você está vestindo?

[Risos] Me importo que esteja limpo!

Você se importa com o que as garotas vestem?

Eu gosto quando as pessoas usam algo apropriado para a ocasião, se é isso que você quer dizer… Então, se você está vindo para um desfile da Burberry, primeiramente, use roupas limpas. Em segundo lugar, você sabe, é provavelmente uma boa ideia usar um trench coat da Burberry se você tiver um. Eles são legais, se você parar para pensar, porque eles são a única coisa que está sempre na moda.

Sua acompanhante está usando um trench coat deslumbrante.

Essa é a Rosanna, mas antes que você pergunte, não é um encontro! Ela é minha irmã.

Isso é incrível. Por que ela veio ao desfile com você?

Porque é aniversário dela! E ir em desfiles de moda parece uma coisa legal de fazer em seu aniversário.

É um ótimo presente. Vocês terão uma festa mais tarde?

Eu duvido. Nós provavelmente vamos para casa.

Você consegue fazer brownies ou bolo?

Definitivamente não! Nossa irmã mais nova é a confeiteira da família. Eu realmente não consigo fazer sobremesas. Mas sempre posso comer.

Fonte

Nicholas entrou para o elenco do primeiro filme com língua inglesa do diretor Xavier Dolan. Confira mais detalhes abaixo:

Natalie Portman, Nicholas Hoult e Thandie Newton se juntaram ao primeiro filme de língua inglesa do cineasta canadense Xavier Dolan, The Death and Life of John Donovan. O trio se junta aos já anunciados Kit Harington, Jessica Chastain, Susan Sarandon, Kathy Bates, Michael Gambon, Bella Thorne, Chris Zylka e Emily Hampshire. É uma medida de poder de atração e talento que faz Dolan, aos 26 anos, ter um elenco tão impressionante.

O filme se passa no começo dos anos 2000 e foca nas aflições de John F Donovan (Harington), uma estrela da TV americana no final dos seus 20 anos, e suas correspondências com Rupert Tunner, um jovem ator que mora com sua mãe na Inglaterra. Suas vidas tomam um rumo dramático quando a existência de seu relacionamento pen pal (amigos por correspondência) é exposto publicamente, provocando suposições e mandando Donovan em uma queda vertical. Uma década depois, o jovem ator relembra seu relacionamento com seu ídolo ao longo de uma entrevista.

Lyse Lafontaine do Lyla Filmes (Laurance Anyways), Dolan e Nancy Grants do Sons of Manual (Mommy, Tom At The Farm, I Killed My Mother) estão produzindo, com a produção executiva de Joe Iacono.

 

Fonte | Tradução: Ana – NHBR





Nicholas Hoult Brasil é um fansite não-oficial sem fins lucrativos. Não possuímos nenhum contato com Nicholas, seu agente, sua família, amigos, etc. Pedimos que os arquivos traduzidos pela equipe do site, assim como conteúdos pesquisados e editados por nós, sejam sempre creditados quando usados em outro site. Se há algo seu aqui e você gostaria que nós retirássemos, por favor entre em contato conosco antes de tomar qualquer ação legal.